Olá, devido a um lampejo inspirador mantenho-me firme na estrada da escrita. Nem todo escritor gosta de tudo que escreve, mas eu até que gosto sim. Não tem nada haver com soberba ou ousadia. A questão toda é felicidade em ver uma ideia transcrita em letras, palavras e sentidos. Acabo me sentindo mais rico sempre que transponho um ponto final da minha imaginação para o papel (ou mesmo para o bytes do computador).

Mas o povo tem seu gosto e, por alguma razão ainda não explicada, alguns textos caíram no gosto do povo. Sorte a minha e dos textos que acabaram ganhando vida nas pequenas conversas em algumas esquinas.

Abaixo as crônicas mais comentadas no meio da rua. Por incrível que pareça, muita coisa sai da internet e ganha a rua. Como se fosse uma inversão tecnológica. Sabe-se lá.

Como dizem por ai: #fica_a_dica

Histórias de Vovó (Pense numa mulher engraçada)

Uma Conversa de 90 Anos – Um dia comum

Uma Conversa de 90 Anos – As Saúvas da Minha Avó

Uma Conversa de 90 Anos – Eu Acredito

Uma Conversa de 90 Anos – A Cheia

Comida (porque pense num negócio gostoso)

Nutri-Guerra – Parte Primeira

Nutri-Guerra: Parte Segunda. A preparação

Culinária do Medo: O Risoto Ignorante

CEP: Geladeira

Verde Esperança

Saudade e outros sentimentos (Que dói feito facada enferrujada mas também nos faz sorrir e ser feliz)

A Não-Lembrança

Correr Descalço

Forasteiro

Meu Baobá

Por favor, deixe o outro passar

Boxe (É isso ai)

Confiança na Guarda

Dentro do Ringue

Manias (Todo mundo tem. Eu espero…)

Manias de Não-Tão Velho

O Intruso

Simples e Confuso

O Jornal dos Outros