Pequenos prazeres na vida podem aumentar sua qualidade de existência de uma forma imensurável. Sabe como?

Só vivendo para descobrir.

Mas outro domingo destes fui agraciado com um belo exemplo de algo que se vem se mostrando paciente professor: o destino.

Faz 1 ano, exatamente 1 ano. Ok, talvez aproximadamente. Mas este é o tipo de expressão que traz drama para o texto. Chega de drama na vida? Então vou recomeçar.

Faz um ano, ou algo assim. Porém faz tempo o suficiente para já ter me incomodado bastante.

Não te condeno caso não entenda o que estou dizendo. Aliás, ainda não disse nada. Faz um ano e só sei falar disto neste texto. Mesmo assim não disse nada.

Há pequenas coisas que podem mudar sua qualidade de vida de uma maneira surpreendente. Exemplos? Um “bom dia” com sorriso é um começo. Um começo batido, já bem desgastado pelo uso, porém, sempre, um bom começo.

Chegar na parada e o ônibus estar te esperando. Chegar no metro e ele não atrasar (pasmem, atrasa mais do que o ônibus). Chegar no trabalho e estar tudo em dia. Almoçar e, a comida ter um tempero diferente, gostoso e surpreendente (sem sacanagem hein?). Tocar a sua música favorita no rádio assim que você o liga. Aliás, reaprendi a ouvir rádio. Traz um gosto de aleatório, desconhecido no dia. A não ser que você escute o almoço musical da rádio universitária (meu pai escutava quando ia pegar na escola). Salve Richard Clayderman e seu piano de bar!

Pronto, tem um detalhe que é meu favorito: não chover quando estou voltando para casa. Nossa, isso me deixa muito feliz. Pena que só percebo quando chove. São pequenas coisas que o destino acaba nos ensinando a valorizar.

Mas o que motivou todas estas palavras? Nada disto que já falei, pode ter certeza.

Algo me motivou, este domingo, fiz algo que me deixou extremamente feliz. Existia um incomodo na minha vida, mais ou menos como aqueles espinhos de desenho animado incomodando o gigante.

Mas, você adorada(o) leitora(o) – desculpe gramática, primeiro as damas -, deve estar se perguntando: “o que aconteceu?”

O que me incomodou por 1 ano? Exatamente ou quase isso. O que me cutucou minha paciência, meu bom humor, por tanto tempo sem que nada pudesse ser feito.

Antes de mais nada, gostaria de declarar algo em minha defesa. Este monstro que eu convivia, apesar de pequeno, possuía um grande aliado: a preguiça.

Isso mesmo, falei.

Preguiça amplifica qualquer problema, por minúsculo que seja. Isso o professor me ensinou (estão lembrados do Destino?).

[…]

Fazia 1 ano, ou algo por ai, que meu varal está quebrado.

Naquele domingo, eu consertei.

Todos os dias era necessário esquivar-se de roupas molhadas para atingir o templo de qualquer casa: a geladeira. Por alguma razão arquitetônica, o varal fica entre minha cozinha e a geladeira. Todo dia de manhã a raiva fervia em meu sangue vendo aquele varal pendente, brigando com todas as forças contra a gravidade. Uma briga perdida.

Era necessário desviar de um mar de calças, cuecas e camisas molhadas. Tudo isso para pegar a geléia e um copo com água. Meu dia começava assim, com raiva, por 1 ano.

Não mais.

Na ausência de escadas, escalei minha parede. Com a corda segura em minha boca, me senti o próprio Rambo infiltrando-se silenciosamente na fortaleza inimiga com uma faca dentre seus dentes.

Exagero? Quem já venceu a própria preguiça sabe do obstáculo que estou falando. A preguiça, caros leitores (resolvi fazer as pazes com a gramática), pode se tornar uma fortaleza impenetrável, uma barreira intransponível.

Mas não para este que vos escreve.

Naquele domingo, quase que depois de 1 ano de batalhas diárias, eu consertei o desgraçado do varal. Escalei a parede, medi, cortei, dei nó, preguei um novo suporte. Xinguei forte quando vi que tinha menos corda do que precisava.

Remendei, desci, escalei de novo, medi de novo, cortei, amarrei. E, por fim, venci.

Hoje, pegar a geleia é muito mais fácil. De brinde, todo dia que acordo, ao invés de ferver meu sangue de raiva, inflo o peito de orgulho por ter escalado a preguiça e dominado a fortaleza inimiga.

Pequenos prazeres na vida podem aumentar sua qualidade de existência de uma forma imensurável.

Se quer descobrir como, sugiro começar consertando seu varal.

huffingtonpost

huffingtonpost