Agora o que está na moda é cozinhar. Após muito tempo aprimorando meus dons dos domínio de cuca, creio que cheguei ao ápice da eficiência culinária com a receita que transcrevo abaixo.
———————————-

Toda boa e tradicional receita deve ter como primeiro tópico a lista de ingredientes.

Mas esta não. Não… ela faz parte da Cozinha Milenar: a Culinária do Medo.

Vou começar com a lista de objetivos! Nada mais hediondo na vida do que uma tarefa sem objetivo (aos filósofos de plantão: o mito de Sísifo da culinária).

O alvo de qualquer receita “Ignorante” deve ser claro:

 1 – Sujar o mínimo de panelas, garfos, facas ou qualquer coisa que precise ser lavada depois (se sua panela é auto-lavável, blz!!!! Use quantas quiser)

2 – Alimentar o bucho. Não tem nada a haver com paladar. Tem haver com alimentar. Ficar saboroso é pura consequência de mais uma missão cumprida e bem cumprida.

Espero que a lista de intentos esteja clara, simples e concisa. Vamos prosseguir.

Agora é a vez da famosa lista de ingredientes:

·  Uma panela de pressão.

Vai dizer que tem medo? Pois tome um rumo na vida… esta maravilha moderna é um dos pontos-chave da receita. Ela permite cozinharmos tudo com apenas uma só panela.

Sabe o que isso significa? Que só precisamos lavar uma panela no final. Além do mais ela mistura do melhor da culinária fast food com a slow food: a comida fica saborosa e rápida.

·   Faca afiada

Mas é afiada mesmo. Largue de ser pão-duro e vá comprar uma faca de verdade. Ou amole a porr* da faca velha. Ganhei de aniversário uma faca de cerâmica.
Corta até pensamento, quanto mais seu dedo.Portanto, se, ao saborear seu risoto, perceber que tem um “paio com unha” a mais na mistura, saiba que você fez algo errado.
Eu sei… é perigosa, quase tão perigosa quanto a panela de pressão, mas a vida exige do caçador coragem. A vida, caro(a) leitor(a) exige de nós coragem. E faca afiada ajuda bastante. É o segundo item mais importante.
·     Sal, cebola, alho, cenoura, batata, macaxeira, arroz, aqueles matinhos verdes, mais cebola, mais sal, mais alho, meia batata, um pouco de água e aqueles tabletes de caldo de picanha (ou uma pitada de sal).

 

Aqui estão alguns ingredientes importantes que você precisa. A quantidade vai da sua cabeça mesmo. Sinceramente? Não sei o tamanho da sua fome. Vai colocando na panela de pressão, arrumando direito para caber tudo.
Sei que alguns consideram desnecessário, mas use a faca amolada para cortar a cebola, a batata, a macaxeira e tudo mais. Eu tiraria a casca e lavaria, só por desencargo de consciência.
Mas se quiser, não lave, vai ferver mesmo. E a casca tem fibra. Só se lembre do ditado da pimenta: “arde para entrar, chora para sair”. Siiiimmmm… por sinal, esqueci da pimenta.
Da última vez que fiz o risotão, coloquei um monte de pimenta do reino em pó mesmo. Mas dá próxima vez vai rolar aquelas pimentas dedo-de-moça.Segure o c*.

·       Arroz

Eu sei, já está na outra lista, mas pensei bem e, como o prato é o famoso Risotão-mata-fome, achei por bem dedicar umas linhas para esta figura tão carismática.
Tem gente que usa aquele arroz riso-arbóreo-colhido-por-virgens-italianas-no-solistício-de-verão (ou coisa do tipo). Realmente, é o tradicional.
Eu uso o que tiver. Geralmente aquele arroz do Tio João mesmo (TIPO qualquer, nunca sei).
“Mestre, toda receita de risoto pede que se refogue o arroz e coloque um copo de vinho, quando você faz isso?”
Não faço, se tiver vinho, bebo. Pronto, fácil assim.
Quanto a refogar o arroz, não tenho tempo para este tipo de detalhe inútil e infantil. Vocês verão a mágica que a panela de pressão faz.

·       Carne

Um…. é o que dá o gosto. Na boa? Não sei nem escolher a carne muito menos qual a melhor para a receita. Uma vez usei patinho, outra maminha e por ai foi. Pega uma com pouca gordura mesmo e vai experimentando.
Inteira ou em pedaços, tanto faz. Você tem uma faca afiada, pode escolher.

Preparação:
Coloca tudo na panela de pressão, inclusive o arroz, uns dois copos de água (da torneira, vai lá).
Pega o que caiu no chão, dá uma lavadinha (se você fizer mmuuuiittaa questão) e joga na panela. Vai ferver mesmo.

Quanto tempo?
Ótima pergunta.

Nunca cheguei a uma conclusão sobre isso. Mas deixa 1h hora na pressão.
“Na pressão” para os ignorantes incautos é quando a panela tá gritando mais do que vizinha fofoqueira. Eu diminuo o fogo.

Por puro e sincero medo daquela geringonça explodir.
E explode, viu?
Mas vou deixando até a carne amolecer.

Quando você abre a panela, vem a mágica:

O arroz? Molinho e gostoso.
A carne? Pronta para desfiar.
A batata? Macia e com gosto de carne!Joga no prato e come.

Há uma pequena possibilidade de ter ficado ruim. Mas é como dizem (na verdade, foi meu irmão quem me disse): a sorte favorece os audazes. Joga azeite.

Sabe o que é melhor? Tudo que você sujou não dá para encher a pia, ou seja, só precisa lavar semana que vem!